Seguidores

Caderno de anotações críticas

A atividade informativa é um garimpo de pensamentos, segundo qual nutrimos nossas opiniões ante o processo de construção humanística de nossas personalidades.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Desperdício e degradação


Fonte: aproveitamentototal.blogspot.com

Na história da economia passamos - todos - por uma fase nunca antes vivida pela humanidade; nunca fora maior a produção econômica de produtos e serviços, sem nunca se ter uma oferta tão ampla de bens para a sociedade, em todos os segmentos.
A vida espremesse num canto de si mesma, lutando por seu espaço; produzimos alimentos em excesso, eletrodomésticos em larga escala, veículos, chegamos até a exportar: ao que pesa a coerência nos limites da vida natural: exageramos em quase tudo que produzimos ao mercado.
E quanto falamos em exagero, revela-se à análise uma produção privada que busca - sem limites - o lucro, sem se importar com nada a sua volta. O mundo moderno é o mundo do exagero; jogamos comida fora - e tantos passam fome; esprememo-nos nos ônibus lotados e sucateamos veículos ultrapassados; produzimos e produzimos papel e cada vez mais jogamos ao lixo esta mesma espécie.
Todavia, a coerência não se ajeita ao regime capitalista: é o seu oposto, deveras. A preocupação dos grandes investidores é produzir mais, gastando menos: e tendo maiores lucros. Não sabemos a medida da esnobe ganância do capital.
Atravessamos o interesse imediato como uma máquina que não raciocína: somos jaz uma engrenagem disso tudo e estamos perdidos. Carecemos ou nunca tivemos o senso que limita nossa ambição. Inteiramente esgotamo-nos a todos com uma cobiça que apenas pretende ter para si novas cifras.

Fonte: bahiageog.blogspot.com

O aporte de sensatez é escasso. Pensemos na produção de papel. O extremo sul do Nordeste brasileiro (sul da Bahia) atravessa o esgotamento da fauna e da flora pela via da exploração esquemática e degradadora nas plantações de eucalipto. Centenas de milhares de hectares produzindo afoitamente esta espécie alienígena, para qual, somente o lucro é o viés de sua produção.
Poderiamos ainda dizer, que não sabemos os limites que assegurem a vida sustentável. Perdemos o que de mais precioso temos. Ainda assim, vale lembrar, que deslocamos ao lixo, em descarte impiedoso boa parte do que produzimos.
O lixo é o depósito final de muito do que rejeitamos na plasticidade egoísta de nossa espécie. Em alimentos, objetos e utensílios no mais. Perdemos o apresso que traduz o ato de concertar. As próprias firmas de manutenção e concerto estão desaparecendo. Não sabemos para onde vamos, enfim.
Com isso, urge no plano das consciências primeiramente um comportamento que frise nova análise a esta ambição de nosso tempo. Pensemos nos que passam fome, nos técnicos em manutenção que estão desempregados, no meio ambiente em geral... talvez assim, possamos ponderar o nosso furor criativo pela sensatez da preservação.

4 comentários:

Carlos Galeon disse...

Mientras el capitalismo mande en el mundo, sin freno, tal y como está haciéndolo ahora, vamos hacia el desastre, porque solo buscan el máximo beneficio y el resto no les importa lo más mínimo. El cambio climático ya es una realidad, pero apenas se hace nada para combatirlo. Son los Estados, y no las empresas que se han enriquecido, las que tienen que hacerse cargo de todos los gastos, y de vigilar que se cumplan las nuevas leyes, mientras ellos siguen destrozando el planeta en que vivimos como si fuera de su pertenencia. LA TIERRA ES DE TODOS, NO DE LOS CAPITALISTAS. FRENO A SUS NEGOCIOS QUE ATENTAN CONTRA EL MEDIO AMBIENTE.

Viviane Peres disse...

Obrigada pela visita Marcelo. Sobre o seu comentário, eu quis falar das principais vertentes religiosas brasileiras né. Mas agradeço a Dica.
Excelente restinho de domingo pra vc!
Fique com Deus.

Denise disse...

É lamentável a forma q os homens se comportam em relação à natureza. Pensam q o mundo foi criado para o servir. E não é bem assim... Colhemos os frutos de nossa insensatez através dos diversos acidentes climáticos, porém, mesmo assim, não paramos para refletir. É preciso aprendermos a viver com o necessário, sem esbanjar. Desse forma, acredito q haverá o necessário para todos. Muita paz!

SEISITO disse...

Es lamentable como destruimos nuestro planeta.
La basura es un tremendo problema en muchas partes.
En la isla Juan Fernandez no saben que hacer con la basura.
SALUDOS DE CHILE

Translate

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Quem sou eu

Minha foto
Navego à espreita do espaço urbano com pedaços de gravetos, os quais para não ser cinza, necessitam de esperança feito meu amanhã. Percorro a corrida pela sobrevivência, maquinada pela iniciativa da fé que ultrapassa os limites geográficos com sua cabeleira de contas e cálculos sem fim. Neste cortejo me proponho a mudar dia após dia, feito rocha desgrenhada nas saraivas do tempo.

Total de visualizações de página